Livro "Poesia para o mundo"

cb41f167917ec4b8d870a90c54afef7d_portada_thumb.jpg

Autor: Remisson Aniceto
N° de páginas: 92
Tamaño: 150x210
Interior: Blanco y negro
Maquetación: Pegado

Para comprar: http://www.bubok.es/libros/5633/Poesia-para-o-mundo

Pórtico

A Poesia é a roda e o eixo do mundo: tudo se move a partir dela. Senhora das emoções, encontra-se em cada detalhe, em cada  sorriso, em cada lágrima, em cada fala, em cada objeto. Às vezes quase imperceptível, ela sutilmente movimenta o mundo e o transforma,  promovendo a integração e a harmonia entre os povos. A Poesia pode ser classificada como o Quinto Elemento necessário à vida, pois assim como a Água, a Terra, o Fogo e o Ar, ela sacia a sede do espírito, germina e floresce, aquece e oxigena o sangue, abrindo novos horizontes. Transitória ou permanente de acordo com o olhar de cada leitor, por si só ela torna-se perene, fica. Na poesia podemos encontrar o caminho para a Paz.

Remisson Aniceto

*

Beba!
Água potável!
Coisa mais difícil é opinar sobre uma obra engendrada por seu amigo.
... Se não agradou, como falar mal de um filho para o pai?
Se agradou, como exprimir-se na intensidade adequada e justificar
seu parecer?
E põe dificuldade nisto se for poesia!
É um desafio que sempre enfrentei. Os muitos anos (quase trinta), dia
a dia, vividos na tentativa de interpretar para os alunos as contribuições que
a arte literária já firmada pela cultura pode trazer a cada pessoa, em vez
de insensibilizar criaram uma inquietude. Confesso que ao encontrar alguma
mina nova aflorando a terra, tentando abrir um sulco para expor-se como água
de beber, tenho sede e sempre experimento, até com um ar de obrigação.
É o caso de Remisson. Li, digerindo, uns 50 poemas seus.
É terra privilegiada que absorve todas as chuvas. Sinto infiltrando-se nele
águas do Romantismo, do Parnasianismo, do Simbolismo (mais Alphonsino
que Cruzeano) do Augusto inclassificável dos Anjos desangelizador e até
jorros da bilha do Fernando português. Mas, não só. Há chuvas de todos os
climas e estações.
Mas tudo sai a seu modo, à sua pessoa. Repito: é terra fértil, não porosidade
filtrante.
Remisson tem tudo de nascente: filtra, enriquece, mistura, alquimiza.
Como todo mundo, adota calhas, mas o faz com arte e competência,
sobretudo as do soneto. (Acho, aliás, que todo bom sonetista é sempre um
grande poeta). A prova disto é que a água corre, mineral, cristalina, leve,
surpreendente, medicinal.
Pode beber. Em algum local psíquico, em algum momento sedento, vai lhe fazer
bem.

Prof. João E. Magalhães - Literatura
Colégio Stella Maris (SP) - Agosto de 2001

http://www.bubok.es/libros/5633/Poesia-para-o-mundo

|

Comentarios

Comentarios de este artículo en RSS
Cerrar
Share on Facebook googleaeff4bfabf96734a.html